sábado, agosto 26, 2006

.

aproveite enquanto espalha, seus pequenos pesadelos
umas leves confidencias, que tu toca e se quebram
voce pode
enquanto não lembrar teu jeito
de criança querendo beijar adulto

essa vivencia
de quem quer sofrer e não sofre
uma coisa já toda nova
tua irmã te espiona, nestes trajes
ela percebe algo tangível no ar só dela
ela sonha cinzento, e nunca te lembra

enquanto é moda inventar tudo
até que eu tento, mas há muito não estava
bem a frente do meu tempo
na praça estranha eu me calo e então descubro
o quanto eu piso diferente
fora de casa

terça-feira, agosto 01, 2006

Tudo o que voce queria saber sobre sexo* mas tinha vergonha de perguntar




Meu primeiro Woody Allen (mesmo tendo a suave sensação de que me já vi algum filme dele, em algum lugar,num algum passado não tão distante)...o que concluo desta primeira experiência é que Woody Allen é um "autor" no sentido mais pleno do termo: dirige ,escreve, atua e se permite até ser um espermatozóide!!

Em outras pessoas, isto seria presunção, indefinição e falta de um real Talento. Esse não é o caso de Allen, que sabe que possui carisma e talento o suficiente para fazer tudo isso...

...e bem!

A película é dividida em episódios, que tem em comum apenas o fato de serem respostas pra perguntinhas tabus, como " afrodisiacos funcionam?" e "o que é sodomia" (claro que não vou falar todas as perguntas, vai ver o filme pô), os créditos iniciais mostram um monte de coelhos num fundo branco ao som de Let´s Misbehave, de Cole Porter, um beepopizinho safado e divertido

Ao ver filmes como este, fico ainda mais convencido de que não é preciso muito dinheiro para fazer cinema, bom cinema: os cenários são economicos (grande parte na "Good and old" New York), e os poucos elementos que fogem disso são extremamente criativos e inusitados (como uma inacreditavel "Teta" gigante, com a qual Allen deve lutar para salvar o dia)

Sem mais delongas: voce pode terminar o filme sabendo tanto sobre sexo quanto antes, mas vai se divertir um bocado com o humor do tio Woody.

ô se vai...